Joana Espadinha: «Quando tentamos ser quem não somos as coisas deixam de funcionar»

Joana Espadinha 2019

Joana Espadinha ainda é notícia pelo seu segundo disco, “O Material Tem Sempre Razão”, escrito duas vezes, como se vai perceber na nossa conversa. ‘Leva-me a Dançar’ foi o primeiro single do novo percurso da artista que começou no jazz e, cantautora confessa, está, neste momento, rendida à pop. Seguiu-se ‘Pensa Bem’, sempre numa agradável e saborosa toada pop mas recheada da poesia e musicalidade que nos embalam e fazem sonhar, e agora o single que dá nome ao álbum.

Nestes últimos tempos Joana Espadinha aliou-se a Luís Nunes (aka Benjamim), e durante mais de um ano trabalhou com o músico e produtor na materialização de um conjunto de 11 canções que não nos cansamos de ouvir e convidar toda a gente a ouvir. A sério. Se ainda há quem não conheça a Joana Espadinha é mesmo para ouvir, rapaziada. Sim, até soa a anos 80 cheios de boa vibe.

A ligação académica de Joana Espadinha com a música teve início no Hot Clube e depois no Conservatorium Van Amsterdam, para a licenciatura de Jazz. Por entre apresentações em nome próprio e como convidada, surge associada a nomes como Afonso Pais, João Hasselberg, André Santos ou João Firmino. À sua colaboração enquanto cantora, junta as suas letras e composições. Atualmente leciona Canto na Escola de Jazz Luiz Villas-Boas no Hot Clube de Portugal e no curso de Jazz da Universidade de Évora.

Em 2014, lançou o primeiro álbum, “Avesso”. De raízes alentejanas e uma rotina lisboeta, Joana Espadinha diz que “O Material Tem Sempre Razão” é um retrato fiel de si própria e que esse título surge como uma referência ao facto de, como artista, ter querido, um dia, agradar a toda a gente, e ter percebido que, quando tentamos ser quem não somos, “o material tem sempre razão” e ocorre um curto-circuito.

Fomos beber um café com a Joana Espadinha, feliz e simpática como poucas, precisamente no mesmo local onde se encontrou com Benjamim e onde começaram as conversações para este novo disco: no Tintin Café, em Alvalade, Lisboa.

Eis o mais single que dá nome ao álbum, ‘O Material Tem Sempre Razão’.

Daniela Azevedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.