Magana sobre o álbum de estreia: «Foi tudo pensado para agradar dos 7 aos 77»

Magana estreiam-se com o trabalho Na Terra do Sr Zangão

Os Magana, uma dupla pop bem portuguesa, estão a lançar o seu álbum de estreia, intitulado “Na Terra do Sr. Zangão”.

Magana são de Alcácer do Sal
Os Magana são de Alcácer do Sal

Nuno Romano-Batista, na voz e bateria, e Jaime Romano-Batista, na voz e guitarra, são dois irmãos de Alcácer do Sal que decidiram juntar-se em modo banda musical em 2014. No ano passado participaram no programa de talentos “The Voice” mas, apesar de terem boas recordações desse tempo, afiançam que a passagem pela televisão em nada lhes alterou o que já tinham em mente.

“Na Terra do Sr. Zangão” é o álbum de estreia que faz uma fusão de vários estilos musicais como a pop, o rock, o jazz, a bossa-nova, funk, soul, folk e até fado. O single de apresentação chama-se “Estória do Zé” e as músicas têm tanto de divertidas, quanto de reminiscências dos anos 80 e 90. Tinha que os conhecer…

Daniela Azevedo e Magana em Lisboa
Daniela Azevedo e Magana em Lisboa

Daniela Azevedo – Como é a vossa história, como é que vocês começaram em 2014?
Jaime Romano-Batista – Nós somos irmãos, alentejanos, de Alcácer do Sal; sempre trabalhámos juntos e sempre tivemos projetos em conjunto. Como estamos sempre em estúdio a gravar, muito ativos, numa das nossas sessões começaram a surgir músicas engraçadas. Achámos-lhes piada e sentimos que devíamos pô-las em disco. Escrevemos umas letras engraçadas, sempre a brincar e a estereotipar alguma coisa.

DA – Mas antes do projeto Magana vocês já participaram num programa de talentos musicais, no “The Voice”. Como é que foi essa participação?
Nuno Romano-Batista – Quando entrámos no programa já estávamos em estúdio enquanto Magana. Entrámos com o espírito de vir a ser uma pequena ajuda, uma “rampa de lançamento” para o projeto que já tínhamos em estúdio. Foi bastante engraçado e fizemos amigos lá dentro; eu gostei muito e meu irmão também.

DA – O trabalho de estreia chama-se “Na Terra do Sr. Zangão”. Que terra é esta?
JRB – É a nossa! [risos]. Este é também o nome de uma das canções que escolhemos para título. É um conflito interpessoal, quando cada um de nós sente um conflito dentro de si próprio contra os zangões que estão sempre zangados, contra tudo e contra todos. Neste caso é a nossa terra, Alcácer do Sal, mas cada um há-de ter a sua porque isto é igual em todo o lado.

DA – E também têm uma canção chamada ‘Estória do Zé’. São títulos tão engraçados que tenho que vos perguntar se é vosso objetivo chegarem ao público infantil…
JRB – O nosso objetivo é chegar ao maior numero possível de pessoas. Tivemos a preocupação de fazer um projeto que chegasse a gente dos 7 aos 77 anos.

DA – E a capa do disco remete para um universo vintage, com o melhor carro do mundo, um VW carocha…
NRB – É verdade, foi um bocadinho inspirada no universo do “Duarte & Companhia” [risos]

DA – Mas espera lá, eles tinham um 2 CV! [risos]
NRB – [risos] Mas foi um bocado para recriar todo o conceito do álbum, das letras, do estilo de música… foi tudo pensado para este conceito: o de agradar dos 7 aos 77.
JRB – E a capa do disco também é assim porque se baseou num dos temas, chamado ‘Infância nos 80s’, onde quisemos recriar o ambiente dos anos 80 quer com o carro, quer com os filtros da própria fotografia.

DA – Vocês sendo irmãos e trabalhando juntos, como é que ainda têm “coragem” para chegar ao fim do dia e ensaiarem juntos?
NRB – Às vezes é complicado porque nos damos muito bem, claro, mas temos alguns conflitos, o que é normal e depois fica tudo bem passados cinco minutos.

DA – Até onde gostavam de ir?
JRB – O objetivo maior seria termos uma agenda cheia de espetáculos.

DA – Se tivessem a oportunidade de atuar num grande festival deste verão, qual é que escolhiam para a vossa estreia?
JRB – O Alive, gosto muito desse festival.

DA – Sei que são fãs dos Foo Fighters, por exemplo, mas que outras bandas vos inspiram?
NRB – Somos muito inspirados pelas bandas da década de 90. Para este projeto as nossas grandes referências são mais pessoais como Nirvana, Pearl Jam, Soundgarden, Alice in Chains, Stone Temple Pilots, Foo Fighters… a nossa escola é o rock.

Aqui ficam algumas das canções que integram o alinhamento
– ‘Estoria do Zé’, disponível mais abaixo;
– ‘Popstar’
– ‘Infância nos 80s’
– ‘Canto Luxúria’
– ‘Na Terra do Sr. Zangão’
– ‘Emigrante’.

Daniela Azevedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *