Marta Ren e os portugueses no Eurosonic: «Consigo ficar genuinamente feliz pela felicidade dos outros»

Marta Ren, no festival Sons de Vez, fotografada por Sérgio Neto

Marta Ren atua amanhã no festival holandês Eurosonic Noorderslag, conhecido por juntar grandes agentes da indústria musical interessados na nova música europeia, correspondendo a um “empurrão para a divulgação internacional”.

Marta Ren e Daniela Azevedo na Smooth FM no início de 2017
Marta Ren e Daniela Azevedo na Smooth FM no início de 2017

Antes da viagem, e ainda em plena quadra natalícia, encontrámo-nos para um muito adiado abraço (perdi, por conflito com outros compromissos profissionais, todos os concertos dela em território nacional em 2016). Apesar do frio rigoroso, Marta Ren vem cheia de energia, de alegria, sem papas na língua e sempre a espalhar aquela cumplicidade que, só quem luta pelo que realmente quer, conhece e entende. Ela é assim mesmo e diz-me que a culpa é dos genes portuenses.

O festival, que começa hoje e decorre até ao próximo dia 14 em Groninga, Holanda, além de acolher a cantora portuense, recebe também centenas de artistas europeus, cada um deles apoiado por estações de rádio igualmente europeias. Eurosonic é a maior conferência profissional da Europa em termos de música ao vivo, de talentos emergentes e de negócios do setor onde os profissionais da música da Europa se reúnem para uma maratona de conferências, workshops, encontros de trabalho, oportunidades de negócio e concertos.

Na edição do ano passado do Eurosonic estiveram presentes 42.100 visitantes de 40 nacionalidades, 345 artistas, 425 jornalistas e representantes de 424 festivais internacionais. Dos 350 artistas presentes no evento deste ano, 20 são do país em destaque que, este ano, é Portugal. Da Chick, que também já passou por aqui, foi um dos nomes portugueses que marcou presença naquela cidade universitária holandesa. Marta Ren diz que ter lá tantos amigos é o que mais a diverte na viagem.

Depois de, no final do ano, ter atuado na Casa da Música, no Porto, e de ter feito a festa de passagem de ano em Caminha, Marta Ren apresenta agora no Eurosonic o álbum de estreia a solo “Stop, Look, Listen”, lançado em 2016, e que nos leva numa viagem pelos anos de 1960 e 1970, através do som clássico da soul e do funk. De recordar que Marta Ren fez parte dos Sloppy Joe, dos Bombazines e, ainda, do projecto Movimento, juntamente com Miguel Ângelo. O álbum foi todo gravado de forma analógica. Ou não fosse o vinil uma paixão comum que alimentamos, verdade Marta?

De “Stop, Look, Listen” saíram os singles ‘Summer’s Gone’ e ‘2 Kinds of Men’ que integram as playlists de rádios como a Radio 1, da RAI, a Radio 3 espanhola, o Basic Soul Show de Simon Harris, ou o Craig Charles Funk and Soul Show, na BBC 6. Lá fora, Marta Ren está feliz pela forma como tem sido recebida mas lamenta não cumprimentar em português.

Na companhia da banda que a acompanha, os Groovelvets, Marta Ren tem já datas marcadas para uma digressão europeia que passa por França, Itália e Espanha. E as expectativas, tendo em conta o que já viveu no final do ano passado lá fora, são altas.

Daniela Azevedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.