Rod Stewart: a reluzir desde os anos 60

Rod Stewart no MEO Arena, em Lisboa, a 07 de julho de 2016, fotografado por Pedro Figueiredo do My Sound Mag

O risco de ataque cardíaco antes do concerto de Rod Stewart na noite desta quarta-feira, dia 6, no MEO Arena, em Lisboa, era mais elevado que o dos Raios UV neste verão quente. A emoção justificava-se mas Portugal acabou por deixar toda a gente aliviada com a sua vitória por 2-0 frente ao País de Gales e o apuramento para a final do Europeu de futebol garantida.

Assim, e porque o cantor alterou a hora de início do concerto para garantir que só começava quando o jogo tivesse terminado, foi para um público extremamente entusiasmado e divertido que Rod Stewart cantou durante duas horas. Mais de 45 anos de carreira garantem-lhe reportório para isso e muito mais.

O palco é digno de um qualquer cruzeiro de sonho dos anos 80 mas com o bom gosto que a atualidade implica, assente em quadradinhos pretos e brancos. Tudo tem este padrão: desde a cortina que abre e fecha o palco, passando pelos casacos dos músicos (homens), bem como piano e baterias. Com orquestra ao vivo, a riqueza sonora do concerto é enorme, embora houvesse algumas queixas por parte de quem estava no fundo da sala. Na frente de palco, contudo, nada a apontar. E começa a festa com versões: ‘Having a Party’, de Sam Cooke, ‘Some Guys Have All The Luck’, dos Persuaders e ‘This Old Heart of Mine (Is Weak For You)’, dos Isley Brothers, enriquecido pelos muito talentosos violinista e saxofonista. Rod Stewart faz questão de se acompanhar de músicos de muito alto nível que asseguram todo um espetáculo a acontecer sempre à volta do britânico de ascendência escocesa.

Como o concerto foi dividido em duas partes, houve intervalo e uma ligeira mudança no figurino, embora as bailarinas continuem poderosíssimas, nos seus vestidos brilhantes (agora em branco, na primeira parte dourados), mas no mesmo estilo flapper. Rod Stewart continua a apostar no preto e branco, embora agora seja um casaco em vez da imaculada camisa da primeira parte. ‘Rhythm of My Heart (The Final Acclaim)’, ‘Maggie May’ e ‘You’re In My Heart’ desfilam sem parar para depois vir, novamente, o momento “sing a song” com ‘The First Cut Is The Deepest’ e ‘I Don’t Want To Talk About It’. Com ‘You’re In My Heart’ o músico prestou homenagem, com imagens exibidas na meia dúzia de ecrãs que equiparam o seu palco, ao Celtic – clube do coração de Rod Stewart. Ainda assim as felicitações pelo resultado da seleção portuguesa foram uma constante e até chegou a atar um cachecol de Portugal à cintura.

Nota que vale a pena sublinhar é o facto de ter sido das raríssimas vezes em que vi um guitarrista agradecer ao roadie de cada vez que lhe substituía o instrumento. Aliás, as próprias bailarinas brincavam umas com as outras, os sorrisos e abraços eram uma constante, intercalada pelas marotices de um Rod Stewart que nunca negou gostar de mulheres bonitas. Ambiente aparentemente perfeito entre todos, sem necessidade de exibicionismos…

Rod Stewart no MEO Arena, em Lisboa, a 06 de julho de 2016, fotografado por Pedro Figueiredo do My Sound Mag
Rod Stewart no MEO Arena, em Lisboa, a 06 de julho de 2016, fotografado por Pedro Figueiredo do My Sound Mag

Mais em: Musicfest – O cartaz dos festivais de música

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.