GNR sobre os 35 anos de carreira: «Mais de metade das nossas vidas foi passada fora de casa» [video]

GNR e Daniela Azevedo no auditório da Rádio Comercial

Os GNR estão a comemorar 35 anos de carreira. Referência incontornável da história da música portuguesa, o Grupo Novo Rock marcou-me ao longo deste tempo com CDs que guardo impecáveis, com histórias da juventude apadrinhadas pela sua banda sonora, com concertos memoráveis, aliados ao caráter singular de Rui Reininho, às suas letras loucas, ao talento das composições de Tóli César Machado e ao baixo do sempre sorridente em palco Jorge Romão. De Reininho guardo também uma noite dos Grant’s True Tales em que, no meio de uma sondagem feita ali entre o seu público, acabo, por casualidade, a subir ao palco e ganhar uma preciosa garrafa de vinho do Porto. Profissionalmente, tive GNR na Rádio Nova Antena, no Cotonete e, agora, na M80 e Rádio Comercial.

GNR e Daniela Azevedo na M80 Porto
GNR e Daniela Azevedo na M80 Porto

Curiosamente, tal como a mim me acompanharam em todos estes anos, os GNR são transversais a várias gerações. “A nossa história já vem do analógico e deixámos a nossa impressão digital”, diz Rui Reininho.

No assinalar de 35 anos de carreira, o grupo não foge ao assunto dos primeiros e conturbados tempos ou o complicado ano de 1982, quando Vítor Rua decidiu sair. Entretanto, já lá vão 12 álbuns de estúdio, muitos palcos e histórias bem divertidas para contar. “O percurso é muito grande. Na altura, o “Psicopátria” foi o disco que nos expôs um bocado. As primeiras internacionalizações também nos deram ânimo quando na década de 80 as coisas estavam muito difíceis em Portugal. Tocámos muito em Espanha”, lembram os GNR, na entrevista à Rádio Comercial, disponível mais abaixo.

Na M80, eu e o Gonçalo Palma fizemos um documentário radiofónico que esmiuçou, ano a ano, a vida artística do grupo.

Não é fácil para quem está de fora da vida artística perceber isto mas a vida pessoal sai sempre sacrificada neste entretanto. “Somos um bocado como os bombeiros; estamos sempre à espera que o telefone toque”, reconhece Tóli César Machado.

A longa lista de êxitos inclui temas como ‘Dunas’, ‘Pós Modernos’, ‘Bellevue’, ‘Morte ao Sol’, ‘Pronúncia do Norte’, ‘Sub-16’, ‘Clube dos Encalhados’ ou ‘Cadeira Eléctrica’, do mais recente álbum “Caixa Negra”, que os GNR aceitaram passar em revista em conversa no auditório da Rádio Comercial.

Daniela Azevedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.