Cheers Leaders sobre o álbum de estreia: «Somos crentes que tudo pode acontecer»

Cheers Leaders

Os Cheers Leaders chegam ao outono com um dos seus objetivos para este ano cumpridos: a chegada do álbum de estreia, “The Wizard Spell”, ao qual se sucedem os concertos nesta reta final do ano.

O disco tem 12 temas originais, compostos desde o início de 2015, quando a banda se formou. O grupo dá vida a uma musicalidade essencialmente rock, mas não foge a alguma fusão que, na criação das músicas, mistura, livremente, diversos estilos musicais, com o toque criativo dos membros da banda.

Com Gilberto Ferreira no baixo, Miguel Ferreira na bateria, Nelson Fontes como vocalista e Tiago Marques na guitarra, os Cheers Leaders são verdadeiros homens do rock e metal, como pude comprovar numa conversa simpática com o Nelson Fontes.

Daniela Azevedo – Vocês são uma banda recente. Como é que se conheceram e decidiram juntar-se?
Nelson Fontes – Eu e o Gil somos amigos há muitos anos, já tínhamos tido vários projetos juntos e decidimos juntar-nos ao Tiago, outro amigo nosso, que toca guitarra. O Miguel também alinhou neste projeto e começámos a fazer música juntos há cerca de um ano e pouco. Fomos nós que fizemos tudo, demorou alguns meses, mas ficou do nosso agrado e valeu a pena. Se fossemos para um estúdio, íamos condicionar muito as coisas e não era isso que queríamos transmitir. Tentamos não produzir muita coisa artificial porque, quando formos tocar ao vivo, queremos que aquilo soe idêntico.

DA – Entretanto, conseguem lançar o álbum de estreia. O que encontramos em “The Wizard Spell”?
NF – Tem material que fomos juntando e trabalhando. Entretanto, surgiu a oportunidade de compilarmos e gravarmos tudo. São 12 temas bastante diferentes uns dos outros; cada música que fazemos reflete muito o momento que estamos a atravessar na altura da criação, por isso cada tema é diferente do anterior e nós gostamos que assim seja.

DA – Para já têm o single de apresentação, que dá nome ao álbum, que também nos é apresentado em vídeo [como se pode ver mais abaixo]. Onde foi filmado?
NF –  O vídeo foi filmado em duas partes. A parte da banda foi filmada num edifício no Bombarral, achámos que tinha uma boa imagem. As partes de Wizard foram filmadas numa gruta na Maceira.

DA – Wizard Spell… tem a ver com crenças?
NF – Somos crentes que tudo pode acontecer. Não tem nada a ver com religião, somos crentes no poder de acreditar em alguma coisa. Quando acreditamos, podemos criar e modificar a nossa realidade. É disso que a música trata.

DA – Que aspirações têm para o vosso futuro musical?
NF – Para já estamos na expectativa de como é que isto vai ser aceite pelo público. Vamos continuar a trabalhar e esperamos ter algumas oportunidade de mostrar o nosso trabalho ao vivo porque é o que gostamos mais de fazer, de estar com as pessoas. Somos uma banda de “ao vivo”. Também já estamos a construir novos temas, estamos a ensaiá-los e a mostrá-los ao vivo… é por aqui que a banda vai continuar. Queremos ter mais convites para sairmos com o projeto para a rua.

DA – De onde são vocês?
NF – Somos do Vimeiro, Maceira e Toledo; tudo terras entre Torres Vedras e a Lourinhã. E ensaiamos em Toledo. De cá, não em Espanha [risos].

DA – Vocês têm outras atividades profissionais. Como conseguem gerir tudo?
NF – É complicado. Temos pouco tempo disponível para a banda mas tentamos geri-lo da melhor maneira.

DA – Qual é a vossa ligação ao universo motard?
NF – Quando éramos miúdos chegámos a tocar em concentrações motard, embora fosse com projetos de covers, mas era muito interessante. Achávamos muita graça aos metros de cerveja que estavam sempre a aparecer [risos]. Mas havia motas e mulheres bonitas também! [risos]. É um ambiente porreiro, a malta dá-se toda bem, estão todos lá para o mesmo. Esperamos em breve ter oportunidade de tocar em concentrações motard com os Wizard Spell.

Daniela Azevedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.